sábado, 22 de janeiro de 2011

Aventura no TemperaÊ

Finalmente fui conhecer o Temperaê... e confesso: me decepcionou! Penso que podem melhorar com o tempo e entendo que um novo restaurante tem grandes dificuldades até as coisas entrarem nos eixos.

Minha sensação foi de que não tiveram uma boa consultoria - se é que tiveram. As coisas são bem simples, apesar dos preços do cardápio se equipararem a de restaurantes bem mais requintados, aqui da cidade.

A decoração é bacaninha, mesas em madeira de Teca (madeira de reflorestamento) tipo aquelas de jardim, cortinas em um tecido cru com um ar bem orgânico. O ambiente é pouco iluminado e um ventinho agradável da varanda faz companhia... Falando em iluminação, eles deveriam ligar as lâmpadas, uma vez que a iluminação natural não é suficiente para deixar o ambiente (mais) agradável.

Ao correr os olhos pelo lugar vi um painel com temperos e pimentas, bem interessante.

O atendimento tem pontos fortes e fracos. Garçons muito solícitos e simpáticos, mas pouco treinados. Fazem o que podem para agradar o cliente, a impressão é de que a gerência não ajuda com treinamento, a menos que tenha rolado treinamento e nenhuma absorção - o que, nesse caso, consolida também o despreparo da gerência em não identificar a falta de preparação/aptidão do profissional que ali atua.

Já a comida... Essa deixou completamente a desejar. Pedi um prato bastante simples, um Fettuccine ao Molho de Tomate Seco (ou fetucine – como eles preferem escrever no cardápio). Trocando em miúdos, era massa (al dente como adoro!) salteada no azeite com tomate seco cortado e alecrim. Sim, alecrim, ao invés do clássico manjericão. Peço desculpas ao Chef (um rapaz de Salvador, como se referiu o garçom), mas ainda prefiro as combinações clássicas.


Alecrim: excelente em pratos com carneiros, sopas, assados, marinados, peixes e frutos do mar, e também molho de tomate italiano para peixe, patê de fígado, batatas cozidas, couve flor, espinafre, cogumelos, frutas, sucos e pães.

Manjericão: conhecido com a “erva do tomate”, pode ser utilizado na maioria das receitas que o utilizam. Utilizado também em recheios, macarrão, arroz, assado de carne de vaca, porco, hambúrguer, pão, pato, lagosta, camarão, peixe, vitela, pizza, saladas verdes, sopas, batatas, molho de churrasco. Além dessas preparações, é fundamental na composição do molho para a massa “ao pesto”.


A pessoa que me acompanhava se aventurou em um Strogonoff de Frango, que mais se assemelhava a esses pratos executivos - idêntico ao do Giraffas e ao do Bit Pizza - sem apresentação, sem acabamento... Era uma porção de arroz branco, batatas fritas e o tal Strogonoff. Questionei: “Está bom?”. Ele pensou bastante e disse, “não está ruim... está muito doce, não tem sal”. Pode ser que seja alguma brincadeira de péssimo gosto com o lance do TemperaÊ. Será que o chef não experimenta o prato antes de liberar?


Para terminar, só mais algumas observações: troquei de lugar, de propósito, para ver se o garçom iria trocar o lugar o serviço de mesa, acompanhando o lugar onde sentei. Para a minha surpresa, o prato foi servido sobre a mesa pura e não trouxe talheres adequados para comer fettuccine. Sem falar que a minha faca tinha marcas de digitais na lâmina (limpa?), além disso, o restaurante não tinha pimenta do moinho (mesmo levando o nome de TemperaÊ) e Coca-Cola. Sim, não tinha Coca-Cola!


Espero voltar lá, daqui a um tempo e encontrar um cardápio mais bem elaborado, um atendimento com mais qualificado e mais que isso: uma comida saborosa, dessas que faz gosto de voltar para comer e recomendar. Até lá, não aconselho aos meus leitores se aventurarem por lá. Serviço tem que ter excelência.

3 comentários:

Andreia disse...

Faltou falar da bebida!!! E um item importantíssimo: o banheiro, rrss!!

Anônimo disse...

tive grande má impressao ao ir lá, notei logo a insegurança e o despreparamento das propietarias. o banheiro masculino com assentamento precario, mas duas coisas que chamaram ainda mais minha atençao e nao passou despecebido, as propietarias DESCUTINDO, isso mesmo eu mesmo presenciei e me senti desconfortavel. outra coisa, tinha cobradores na porta que má impressao hem?

Andrei disse...

Voce é bem idiota mesmo né? só usando essa palavra pra ver se vc cria vergonha na cara e assuma que não sabe nada.
só me explique porque vc exclui os bons comentários e só deixa os depreciativos? Quanto voce está ganhando ou o que vc está ganhando com isso?? deixa de ser palhaço, seja homem se é o que vc é, pq pra mim isso é coisa de criança ou coisa de quem ganha da concorrencia pra pdoer difamar os outros com medo de perder clientela.
Me deixa muito triste em saber que existem pessoas tão mesquinhas e tão idiotas nessa vida. Se encherga rapaz e vá cuidar da sua vida.
Quantas vezes vc apagar meu comentário, tantas vezes eu colocarei outro.
Só um detalhe, antes de vc apagar, tem muita gente que está vendo o que vc está fazendo, se vc ainda quer alguma credibilidade, deixe de ser parcial, aceite os comentários em geral e não unilaterais.